Mercado Imobiliário

Contrato de aluguel: o que pode e o que não pode ser exigido

Desde a primeira visita à corretora de imóveis até o fechamento do negócio, inúmeras pedras no caminho podem surgir tanto para o locatário quanto para o inquilino, se a imobiliária não for séria e experiente. Ninguém ganha com isso, não é mesmo?

Corretoras de imóveis de confiança dão atenção redobrada ao contrato entre as partes: tudo deve ser muito bem especificado para garantir bom entendimento e facilitar a vida de ambas as partes.

Alugar um imóvel não precisa ser sinônimo de dor de cabeça: entenda o que pode e o que não pode ser exigido em um contrato de aluguel.
“Podem exigir mais de uma forma de garantia?”

Todos querem fazer um negócio seguro – e isso é perfeitamente compreensível. Entretanto, o locatário não deve fornecer mais de uma garantia à imobiliária ou ao locador.

Uma única modalidade de garantia pode ser exigida de quem pretende alugar, que pode ser: um imóvel próprio e quitado de um fiador, um depósito (caução), seguro-fiança… entre outras opções.

Imobiliárias sérias se preocupam em não lesar seus locatários e essa pode ser sua maior garantia na hora de fechar um negócio. Se você opta por alugar diretamente do dono do imóvel, pode não ter as mesmas garantias.

“Podem pedir mais de um mês de aluguel adiantado como garantia?”

Sim, isso é uma forma permitida de garantia, apesar de ser penoso para o inquilino – que tem que desembolsar uma quantia grande de dinheiro de uma vez só. Mas esse dinheiro não fica retido para sempre: ao devolver o imóvel essa quantia é devolvida com juros.

Apesar de essa ser a forma LEGAL de fazer essa transação, não há garantias de que isso vá acontecer, de fato. Ao fazer negócios sem o intermédio de uma corretora de imóveis de confiança, o inquilino corre o risco de nunca reaver essa quantia após sair do imóvel.

O limite que pode ser exigido como caução, entretanto, é de três aluguéis. Mais do que isso já caracteriza uma exigência indevida!

“É obrigatório reconhecer firma?”

Não é obrigatório por lei, mas MUITO recomendável. Para garantir que nada saia do acordo firmado entre as partes e não haja falhas na comunicação e possíveis problemas futuros, é aconselhável que o contrato seja feito o reconhecimento de firma no contrato de locação. Segurança nunca é demais, certo?

“Pode haver multa estipulada no contrário?”

Sim, pode. Definir multa pré-estipulada no contrato para, por exemplo, atrasos do pagamento do aluguel, garante segurança para o dono do imóvel e também é justo com quem alugou: para evitar que o locador cobre um valor inviável diante de um atraso no pagamento, a multa já está pré-definida no contrato.

Quando um imóvel é alugado, o contrato deve ser elaborado com muito cuidado e todos os detalhes devem ser pensados para garantir a segurança das partes. Fazer negócios sem o intermédio de uma imobiliária é um risco, sempre.

Contar com uma corretora de imóveis como a Madia é sinônimo de segurança e menos dor de cabeça na hora de cuidar da parte burocrática do negócio. Que tal dar uma olhada nos imóveis que temos disponíveis para você? Clique aqui.