Mercado Imobiliário

Investir em imóveis comerciais

Exibindo Untitled-2-01.jpg

Quem decide investir no mercado de imóveis tem duas opções a seguir: casas e apartamentos para aluguel aos inúmeros públicos alvo a que podem ser destinados ou as salas comerciais.

Como já falamos bastante sobre os imóveis residenciais, hoje o tema são os imóveis comerciais. Este tipo de investimento traz algumas vantagens, como os contratos geralmente mais longos que o de casas ou apartamentos. O motivo para isso é simples: famílias tendem a se mudar mais e permanecer menos tempo em locais alugados que empresas.

Os contratos para esse tipo de imóvel podem facilmente chegar a 10 anos ou mais e isto pode trazer uma enorme estabilidade financeira. Porém, para ter um bom retorno neste ramo de investimentos, é necessário ficar atento a alguns fatores.

A localização é um dos pontos mais importantes. O ideal é que a propriedade fique em um local seguro, com bom fluxo de pessoas e que possua boa acessibilidade. Estas características garantem que o local do imóvel seja atrativo para captação e manutenção de clientes.

Aqui cabe um adendo: essa não é uma regra universal. Existem empresas que, pela atividade que exercem,precisam se instalar em locais com certas peculiaridades. Nestes casos é provável que, caso aluguem um espaço ao invés de investir em uma sede própria, fiquem lá por muito tempo. Porém será mais difícil arrumar um substituto se o inquilino deixar o local.

Por mais que os preços dos aluguéis de salas comerciais tenham tido uma grande baixa nos últimos anos e os índices de desocupação se mantenham altos a algum tempo, nem isto deve desanimar quem planeja entrar no mercado agora.

Estes fatores derrubaram os preços dos imóveis comerciais, portanto está mais fácil adquiri-los. E o preço do aluguel subiu 6% no primeiro trimestre de 2017, em uma clara sinalização de a fase mais aguda da crise já passou e a situação deste mercado deve melhorar daqui pra frente – principalmente se a economia do país se recuperar e um novo ciclo de crescimento econômico e imobiliário se formar.”