Casa e Construção

Imóvel na planta ou imóvel usado? Descubra qual o ideal para o seu perfil

Quem pretende comprar um imóvel tem pela frente a decisão de adquirir um imóvel na planta ou partir para um imóvel usado. Nós vamos te mostrar o que irá pesar menos no seu bolso nesse momento sem afetar suas necessidades de conquista. Veja e tire suas conclusões.

Comprar um imóvel na planta é uma alternativa para baratear o custo da casa própria.  O lucro ao receber as chaves pode ser bem interessante. Segundo o Conselho Regional dos Corretores de Imóveis ─ CRECI, um imóvel na planta pode valer 50% a mais que um imóvel usado. Quanto melhor a localização, melhor será a liquidez de seu imóvel, tornando a sua venda uma saída diante de imprevistos financeiros.

A aquisição de um imóvel na planta requer compradores com tempo disponível para aguardar a entrega das chaves. Nesse período, o futuro inquilino tem a oportunidade de planejar sua vida econômica e social até a entrega.

Por nunca ter sido habitado, esse modelo de aquisição tem chances menores de ter problemas com a documentação, mas ainda assim é importante checar se o memorial descritivo do empreendimento está ok, pois é nele que constam as informações sobre o que será entregue como metragem, características e materiais utilizados. Comparado ao usado, por exemplo, a aquisição de um imóvel na planta evita custos com manutenção devido ao fato de a infraestrutura ser nova. Com a planta na mão, o planejamento da decoração e da mobília é mais tranquilo que o normal. Outra vantagem é o tempo que o comprador tem para escolher e cotar materiais de construção e móveis, o que aumenta a possibilidade de uma negociação mais vantajosa.

Em geral, os imóveis comprados na planta são entregues entre 6 meses a 3 anos após o lançamento, podendo esse prazo se estender por mais 180 dias. As construtoras têm a obrigação de lhe avisar periodicamente quanto ao andamento das obras. Analise todas as cláusulas contratuais no momento da compra, principalmente as que citam a variação do valor das parcelas ao longo dos anos. Observe se consta no contrato a previsão de multa no caso de atraso na entrega ou por qualquer outro descumprimento contratual por parte da construtora.

Antes da compra, certifique-se que irá conseguir pagar as parcelas com tranquilidade. Normalmente, o contrato estabelece que o comprador deve pagar parcelas até a data prevista, mas não exata a respeito da entrega da obra.  Apesar de não haver juros até a entrega das chaves, deve-se levar em conta que após a entrega ainda haverá a despesa com os juros e as taxas correspondentes ao financiamento. Como já informamos nos posts anteriores, o comprometimento de sua renda mensal não deve ultrapassar os 30%. Compare o valor do imóvel com as parcelas previstas para o período de construção. Durante a construção, as parcelas pagas não sofrem a incidência de juros, mas sofrem correção pelo Índice Nacional de Custos da Construção, o INCC. Portanto, o valor indicado no contrato pode aumentar até que o seu imóvel fique pronto e você passe o financiamento para o banco. O mais prudente a fazer é simular o valor da mensalidade e procurar imóveis que caibam em suas condições de pagamento. Se o seu financiamento for direto com a construtora, peça uma projeção da primeira até a última prestação e se for repassado para o banco, peça um simulado para saber a variação das parcelas para não ser pego de surpresa.

É certo que o fator mais relevante e animador na compra de um imóvel na planta é o fato de poder concretizar uma realização pessoal. Além de toda aquela ansiedade para receber as chaves, a realização de morar em uma casa ou apartamento novo não tem preço.

Por outro lado, aliar satisfação, preço justo e qualidade pode não ser uma tarefa fácil na decisão entre um imóvel na planta ou um usado. Quem tem pressa para se mudar acaba por se decidir pelo segundo por se tratar de um imóvel que oferece a oportunidade de uma mudança imediata.

Imóveis usados são em média 20% mais baratos e podem ser parcelados em até 30 anos. As opções de financiamento são mais exigentes que nos imóveis comprados diretamente na planta. O valor de entrada é maior, mas o plano de financiamento é menor. Assim como na compra diretamente na planta, a aquisição de um imóvel usado deve ser planejada com cautela antes de qualquer compromisso. Não aceite pagar nenhuma parcela antes de ter em mãos todas as certidões que comprovem que o imóvel está regular e que não haverá problemas no futuro. Se houver algum problema com o imóvel como a construção em uma área irregular, o banco aprovará o financiamento e não devolverá todo o dinheiro investido, lhe causando uma dor de cabeça enorme.

Além da documentação é importante prestar atenção na conservação da futura casa ou apartamento. Condições das portas, janelas, pisos, parte hidráulica e elétrica devem ser verificados. Abaixo listamos alguns pontos de atenção que devem ser observados antes da compra de um imóvel usado:

Localização

-Visite o imóvel aos fins de semana e à noite para certificar-se de que o local é realmente tranquilo.
-Faça o trajeto do imóvel a seu trabalho para avaliar o trânsito em horários de pico.
-Verifique a infraestrutura do bairro como comércio, serviços e escolas.
-Converse com os moradores para saber do estado real do prédio e futuras reformas que acarretarão no aumento da taxa de condomínio.

Certidões

As certidões evitam problemas sérios. Você pode verificar todos os documentos exigidos nesse nosso post: Saiba quais os documentos necessários para a compra de um imóvel.   Além das documentações exigidas, ressaltamos dois pontos principais:
Não feche contrato antes de verificar todas as certidões e que todas tenham efeito negativo.
-Para aumentar sua segurança, não se esqueça de efetuar o registro do imóvel.

Acabamentos, revestimentos e infraestrutura

Ao visitar o imóvel pretendido faça uma avaliação completa na infraestrutura.

-Experimente as maçanetas, fechaduras, trancas e dobradiças para averiguar a segurança.
-Verifique o estado de conservação do quadro de distribuição de energia.
-Abra todas as torneiras, chuveiros e descargas e feche em seguida verificando a existência de algum vazamento.
-Verifique a pintura e presença de mofo, rachamentos e vazamentos.

fonte: Céu Lar Imóveis